Get Started. It's Free
or sign up with your email address
DIABETES TIPO 1 by Mind Map: DIABETES TIPO 1

1. O paciente trata-se do Sr. João Santos , 45 anos morador da região metropolitana de São Luis.

2. Orientação do enfermeiro em tal situação. O profissional de enfermagem deve minimizar a situação do paciente em relação a descoberta do diabetes, no entanto o profissional deve dizer ao paciente que não é o fim do mundo e que ele poderá ter uma vida normal, seguindo algumas limitações, como ter uma vida saudável, atividade física e indo ao médico regularmente.

3. Sintomas - Fadigas, fome, excessiva, sede, suor. No trato urinário (micção durante o sono), dor de cabeça, perda de peso, sonolência ou visão embaçada.

4. Estudo de Caso solicitado pelo professor Alex Mourão . Alunos(a): Luana Palácio 4 º período de enfermagem matutino

5. Causa - O diabetes tipo 1 pode acontecer por uma herança genética em conjunto com fatores ambientais como infecções virais. A insulina é necessária para levar o açúcar do sangue às células, onde a glicose poderá ser estocada ou usada como fonte de energia. No diabetes tipo 1, as células beta produzem pouca ou nenhuma insulina. Há uma combinação de fatores genéticos e ambientais que fazem com que surjam anticorpos contra as células do pâncreas produtora de insulina

6. Papel do Psicólogo - O paciente ao receber o diagnóstico de diabetes surge muitos sentimentos tanto para o paciente quanto para a família, geralmente ambas não estão preparadas para conviver com tal mudanças, é ai que vem a importância do acompanhamento psicológico, que pode auxiliar na aceitação e motivação na busca para o tratamento. Buscando o autocuidado, o equilíbrio emocional, podendo assim diminuir o sofrimento e gerar o bem estar na qualidade de vida do paciente.

7. Como diagnosticar - É necessário ter duas amostras de glicemias de jejum alteradas ou um teste de tolerância oral à glicose alterado exame pelo qual se mede a glicemia duas horas após a ingestão de um líquido com alta carga de acúcar.

8. Tratamento - Pode ser tratada com aplicação de insulina, acompanhamento nutricional e atividades físicas. O tratamento do diabetes tipo 1 não é difícil, mas demanda muita disciplina do diabético e da família. Qualquer alteração na dieta, infecção ou esquecimento da aplicação da insulina pode alterar o equilíbrio do organismo, descontrolar a glicemia e evoluir para cetoacidose diabética. É possível, também, que a insulina seja aplicada em excesso, e a pessoa tenha uma crise de hipoglicemia, que é a baixa de glicose no sangue, trazendo graves consequências. Para garantir o controle adequado e boa qualidade de vida, é essencial a acompanhamento rigoroso com uma equipe multidisciplinar composta pelo endocrinologista, nutricionista e o educador físico.