Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
HIV por Mind Map: HIV

1. Características

1.1. Retrovírus

1.1.1. Citopático e não oncológico

1.1.2. Enzima transcriptase reversa

1.1.3. Infecta linfócitos através CD4

2. Transmissão

2.1. Sanguínea

2.1.1. Transfusão

2.1.2. Seringas e agulhas

2.2. Sexual

2.2.1. Sexo desprotegido

2.3. Vertical

2.3.1. Mãe pro feto

3. Testes diagnósticos

3.1. detecção de anticorpos

3.1.1. ELISA

3.1.2. Western blott

3.1.3. Imunofluorescência indireta

3.1.4. Radioimunoprecipitação

3.2. detecção de antígenos

3.2.1. Pesquisa de Antígeno p24

3.3. cultura viral

3.3.1. Cultura de células mononucleares de sangue periférico para isolamento do HIV

3.4. amplificação do genoma do vírus

3.4.1. Análise quantitativa direta da carga viral através de técnicas baseadas na amplificação de ácidos nucleicos, tais como a reação de polimerase em cadeia (PCR) quantitativa, amplificação de DNA em cadeia ramificada

4. Aspectos clínicos

4.1. Infecção aguda

4.1.1. Durante o pico de viremia, ocorre diminuição rápida dos linfócitos T CD4 +

4.1.2. aumento do número absoluto de linfócitos T CD8+ circulantes

4.1.3. reflete uma resposta T citotóxica potente

4.1.4. Febre, ulcerações fadiga, cefaléia, náusea, linfopenia.

4.2. Fase assintomática

4.3. Fase sintomática inicial

4.3.1. Sudorese noturna, fadiga, emagrecimento, perda de peso, diarréia.

5. Tratamento e prevenção

5.1. Uso de preservativos

5.2. Não compartilhamento de agulhas e seringas

5.3. Inibidores da transcriptase reversa

5.3.1. Zidovudina

5.3.2. Didanosina

5.3.3. Zalcitabina

5.3.4. Nevirapina

5.4. Inibidores da protease

5.4.1. Indinavir

5.4.2. Ritonavir

5.4.3. Saquinavir

5.4.4. Amprenavir

6. Ciclo vital do vírus no hospedeiro

6.1. 1. ligação de glicoproteínas virais (gp120) ao receptor específico da superfície celular (principalmente linfócitos T-CD4);

6.2. 2, fusão do envelope do vírus com a membrana da célula hospedeira

6.3. 3. liberação do "core" do vírus para o citoplasma da célula hospedeira

6.4. 4. transcrição do RNA viral em DNA complementar, dependente da enzima transcriptase reversa

6.5. 5. transporte do DNA complementar para o núcleo da célula, onde pode haver integração no genoma celular (provírus), dependente da enzima integrase, ou a permanência em forma circular, isoladamente

6.6. 6. o provírus é reativado, e produz RNA mensageiro viral, indo para o citoplasma da célula

6.7. 7. proteínas virais são produzidas e quebradas em subunidades, por intermédio da enzima protease

6.8. 8. as proteínas virais produzidas regulam a síntese de novos genomas virais, e formam a estrutura externa de outros vírus que serão liberados pela célula hospedeira

6.9. 9. o vírion recém-formado é liberado para o meio circundante da célula hospedeira, podendo permanecer no fluído extracelular, ou infectar novas células