Lentes Esféricas

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Lentes Esféricas por Mind Map: Lentes Esféricas

1. Olho Humano:

1.1. Conjuntiva:

1.1.1. É uma membrada que reveste posteriormente as pálpebras e recobre a superfície anterior do olho até a córnea.

1.2. Córnea:

1.2.1. É a parte transparente do olho. Ela atua como meio refrator por possuir índice refracional maior que o do ar, além de garantir proteção contra micro-organismos.

1.3. Esclera:

1.3.1. Corresponde ao chamado “branco do olho” e constitui um suporte externo fibroso para a inserção de músculos extra-oculares.

1.4. Íris:

1.4.1. É a porção que dá cor aos olhos e está localizada na parte anterior do cristalino e posterior da córnea. Essa região possui importantes músculos que possibilitam o aumento ou a diminuição do tamanho da pupila de acordo com a quantidade de luz no ambiente.

1.5. Pupila:

1.5.1. É uma região localizada no centro da íris e apresenta-se como um pequeno círculo escuro que muda de tamanho. Ela é uma abertura por onde a luz entra a fim de encontrar o cristalino.

1.6. Cristalino:

1.6.1. É um disco transparente rico em proteína que divide o olho em duas partes: a anterior e a posterior. Promove a acomodação visual, pois modifica sua forma para garantir maior nitidez na visão

1.6.1.1. A porção anterior apresenta o humor aquoso, que se destaca por ser uma substância aquosa de cor clara.

1.6.1.2. A porção posterior está o humor vítreo, que é um material gelatinoso formado por água, fibras de colágeno e ácido hialurônico.

1.7. Retina:

1.7.1. É a camada encontrada internamente no olho e destaca-se por possuir fotorreceptores que são capazes de captar a informação visual e enviar essa mensagem ao nervo óptico.

1.8. Nervo óptico:

1.8.1. É responsável por garantir que impulsos elétricos do olho sejam levados para a área específica do cérebro que efetua a sua interpretação.

2. Anomalias do Olho Humano:

2.1. Miopia:

2.1.1. Imagem formada antes da retina, tornando-a não nítida.

2.1.2. Grandes dificuldades de enxergar objetos distantes.

2.1.3. Correção: é feita comumente com a utilização de lentes divergentes.

2.2. Hipermetropia:

2.2.1. Imagem de objetos próximos é formada além da retina, fazendo aquelas imagens não serem formadas com nitidez.

2.2.2. Correção: é possível através da utilização de uma lente convergente. 

2.3. Astigmatismo:

2.3.1. Consiste no fato de que as superfícies que compõe o globo ocular apresentam diferentes raios de curvatura, ocasionando uma falta de simetria de revolução em torno do eixo óptico.

2.3.2. Correção: é feita com a utilização de lentes cilíndricas capazes de compensar tais diferenças entre os raios de curvatura.

2.4. Presbiopia:

2.4.1. Ocorre com o envelhecimento da pessoa.

2.4.2. Dificuldades de enxergar de longe e de perto.

2.4.3. Correção nesse caso se dá com a utilização de lentes bifocais (convergentes e divergentes).

2.5. Estrabismo:

2.5.1. Consiste no desvio do eixo óptico do globo ocular.

2.5.2. Os olhos não olham exatamente na mesma direção ao mesmo tempo.

2.5.3. Correção: é feita com o uso de lentes prismáticas.

3. Instrumentos ópticos:

3.1. Lupa:

3.1.1. Consiste em uma lente convergente com o objeto colocado entre o foco e o centro óptico.

3.2. Microscópio composto:

3.2.1. Câmera fotográfica:

3.2.1.1. É composta de uma lente objetiva que forma uma imagem no chamado filme fotográfico. A imagem será invertida e real.

3.2.2. Consiste na associação de duas lentes: a objetiva e a ocular. Seu funcionamento é bem parecido com o da luneta, porém, o objeto é real.

3.3. Projetor:

3.3.1. É um instrumento de projeção e precisa de um anteparo, em geral uma tela, para que a imagem possa ser vista. Além da imagem ser real, ela é maior e invertida.

3.4. Luneta:

3.4.1. Existem duas lentes. A primeira é denominada objetiva e a segunda, ocular, sendo ambas lentes convergentes. A imagem formada pela objetiva serve como objeto para a ocular.

4. Propriedades das lentes:

4.1. O comportamento das lentes esféricas ao receber a luz incidente determina a formação de diferentes tipos de imagens.

4.1.1. 1 - Todo raio de luz que incide paralelo ao eixo principal é refratado na direção do foco;

4.1.2. 2 - Todo raio de luz que incide na lente pelo foco refrata-se paralelamente ao eixo principal;

4.1.3. 3 - Todo raio de luz que incide sobre o centro óptico não sofre desvio.

5. Elementos:

5.1. Centro óptico:

5.1.1. As chamadas lentes delgadas apresentam espessura muito inferior ao tamanho de suas faces. Isso faz com que os vértices das faces dessas lentes quase ocupem o mesmo ponto, o qual é definido como centro óptico da lente.

5.2. Foco:

5.2.1. Ponto onde a luz é focalizada.

5.3. Ponto antiprincipal:

5.3.1. Ponto que corresponde ao dobro do foco em distância do centro óptico.

5.4. Eixo principal:

5.4.1. Linha que contém o ponto antiprincipal, o foco e o centro óptico de uma lente.

6. Formação de Imagens:

6.1. Imagens de lentes convergentes:

6.1.1. 1- Quando o objeto é posicionado antes do ponto antiprincipal, a lente forma uma imagem real, invertida e menor que o objeto. Ex.: Máquina fotográfica e olho humano.

6.1.2. 2 - Quando o objeto é posicionado sobre o ponto antiprincipal, a lente forma uma imagem real, invertida, e igual ao objeto. Ex.: Máquinas de fotocópia.

6.1.3. 3 - Quando o objeto é posicionado entre o ponto antiprincipal e o foco da lente, a imagem é real, invertida e maior que o  objeto. Ex.: Projetores.

6.1.4. 4 - Quando o objeto é posicionado sobre o foco da lente, não é formada uma imagem, pois os raios refratados são paralelos e nunca se cruzam para formar uma imagem do objeto.

6.1.5. 5 - Quando o objeto é posicionado entre o foco e o centro óptico da lente, sua imagem é virtual, direita e maior que objeto. Ex.: Lupas.

6.2. Imagem da lente divergente:

6.2.1. São capazes de formar apenas um tipo de imagem, pois, qualquer que seja a posição de um corpo diante de uma lente divergente, sua imagem é virtual, direita e menor.

7. Classificação e "Representação" das lentes:

7.1. Lentes Convergentes:

7.1.1. Lentes biconvexas:

7.1.1.1. Apresentam duas partes convexas.

7.1.2. Lentes plano-convexas:

7.1.2.1. Possuem um lado plano e outro convexo.

7.1.3. Lentes côncavo-convexas:

7.1.3.1. Com um lado côncavo e outro convexo.

7.2. Lentes Divergentes:

7.2.1. Lentes bicôncavas:

7.2.1.1. Caso apresentem as duas faces côncavas.

7.2.2. Lentes plano-côncavas:

7.2.2.1. Quando apresentam um lado plano e outro côncavo.

7.2.3. Lentes convexo-côncavas:

7.2.3.1. Com um lado côncavo e outro convexo.